Os estudos hidrológicos dos órgãos competentes apontam para o início de uma precipitação na bacia do Rio São Francisco nos próximos dias. Entretanto, o período chuvoso propriamente dito, só deverá começar em meados de outubro. As informações foram passadas nesta segunda-feira (24), durante reunião promovida pela Agência Nacional de Águas (ANA), em Brasília (DF), para discutir as condições hidrológicas da bacia.

De acordo com os estudos apresentados pela equipe do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), a chuva registrada nos últimos dias na região de Minas Gerais não interfere na bacia do São Francisco. A respeito do fenômeno El Niño, o representante do Cemaden, Marcelo Seluchi, informou que a previsão é de que aconteça apenas em janeiro, com pouca interferência na precipitação da bacia do São Francisco, devido ao período e à intensidade. “Caso se confirme o El Niño em janeiro, a previsão é de uma intensidade fraca a moderada. Além disso, como deve chegar somente em janeiro, já terá começado o período chuvoso na bacia, daí a pouca interferência”, explicou ele.

Além disso, a equipe do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) apresentou as premissas para a operação dos reservatórios, as quais apontam para uma vazão defluente no reservatório de Três Marias, em Minas Gerais, de 275m³/s, de 285m³/s a partir desta terça-feira, dia 25 de setembro; e de 295m³/s a partir do dia 22 de outubro; de 730m³/s em Sobradinho, na Bahia, e de 600m³/s em Xingó, em Alagoas.

Durante a reunião, o superintendente de Operações e Eventos Críticos da ANA, Joaquim Gondim, adiantou que as condições do reservatório de Sobradinho, na Bahia, pelo fato de ter se mantido em 20% do volume útil, possibilita a implantação da nova resolução da agência federal, que estabelece novos patamares de vazão mínima. “Não é certeza, mas essa nova resolução poderá ser implantada a partir de dezembro”, sugeriu Gondim.

A equipe da Secretaria de Meio Ambiente de Sergipe (Semarh) apresentou um vídeo amador enviado por um empresário do setor de turismo, que evidencia uma mancha negra, com água mau cheirosa e borbulhante na região do Baixo São Francisco. Diante das imagens, a procuradora federal Lívia Tinoco prometeu buscar informações mais aprofundadas para uma possível investigação.

Diante do caso, representantes do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) prometeram estudar os problemas e apresentar os resultados na próxima reunião da ANA, marcada para o dia 8 de outubro.

Fonte

Deixe uma resposta