A Secretaria de Defesa Social (SDS) informou que já realizou 220 prisões de pessoas ligadas a crimes contra bancos no estado desde o ano passado, desarticulando cerca de 30 grupos organizados. O orgão explicou que participam da força-tarefa que investiga investidas contra instituições financeiras as polícias Militar, Civil e Científica, que atuam em parceria com a Federal e a Rodoviária Federal, além de instituições bancárias, transportadoras de Valores e o Exército.

O orgão respondeu que, neste ano, em três operações, foram feitas 30 prisões, seis delas em parceria com a Polícia Civil da Paraíba. “Dentre as medidas preventivas, a SDS também vem fazendo constantes recomendações aos bancos, instituições financeiras e transportadoras de valores para que possam otimizar a estrutura de segurança e inibir a ação das quadrilhas.

A SDS afirmou que desconhece a metodologia usada pelo sindicato no levantamento. “A Gerência de Análise Criminal e Estatística da secretaria trabalha com cruzamento de informações policiais e boletins de ocorrência, retirando duplicidades e chegando à veracidade dos fatos”, informou o órgão.

“A SDS está à disposição de todas as entidades que possam colaborar com a segurança pública. No caso do sindicato, está reivindicando, junto aos patrões, a implantação de medidas simples como videomonitoramento, alarme, inutilização de cédulas e contratação de vigilância privada, que possam dificultar ou tornar essas investidas menos atrativas aos bandidos.” (DP).








Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here