A notícia de que o vereador Gabriel Menezes passará a assumir a presidência do PSL de Petrolina caiu como uma bomba entre os filiados da legenda e tirou do sério o atual presidente do diretório, Júlio Costa. Para ele, Gabriel contrariou o histórico de “coerência, compromisso e responsabilidade” com seus filiados.

“Ele nunca participou de nada no diretório do PSL de Petrolina”, alfinetou. Júlio atacou com veemência a atitude do vereador, ao afirmar que Gabriel agiu “de forma sorrateira” ao procurar a executiva do partido no Recife para se colocar como presidente do diretório.

O atual presidente também contestou que Gabriel tenha ficado à frente da campanha do principal nome do partido, o presidente eleito Jair Bolsonaro, e do deputado federal Luciano Bivar (que se reelegeu).

Estive à frente no que foi possível, mas a campanha aconteceu de forma espontânea do povo de Petrolina”, reforçou. Na saraivada de críticas feitas a Gabriel, Júlio tachou o vereador de “oportunista” e de ter “dado uma rasteira” no comando local do PSL. Ele lembrou ainda que Gabriel entrou pelas mãos do então prefeito Julio Lossio, em 2015 (quase no apagar das luzes do seu governo), e depois de ter sido eleito vereador nunca teve disponibilidade para contribuir com o partido, quando era procurado.

Medidas

O atual presidente do PSL afirmou ainda que na legenda há vários integrantes que também contribuíram para a eleição de Bolsonaro, a exemplo do suplente de vereador Alvorlande Cruz. “Não há por que agora aparecer um oportunista alegando ser o pai da vitória”, ironizou. Júlio adiantou a este Blog que não vai deixar barato essa postura de Gabriel, revelando já ter acionado a executiva nacional e estadual do PSL.

Fonte

Deixe uma resposta