Quadrilha investigada pela PF chama a atenção por ter dados sigilosos de ministros de Temer

  • Rafael Brunetti
  • 19/07/2018

Um grupo de criminosos investigados pela Polícia Federal chamou atenção ao tentar clonar aparelhos celulares com foco principal no aplicativo WhatsApp. O alvo do grupo foi as autoridades do governo. No entanto, o objetivo que seria para pedir dinheiro, teria colocado em jogo informações sigilosas envolvendo ministros.

As investigações foram iniciadas com base nos crimes de estelionato e invasão de dispositivo. Houve pedido de dinheiro e as vítimas chegaram a depositar valores ao grupo criminoso. A partir do andamento do inquérito, a Polícia Federal notou que conversas entre autoridades foram expostas ao grupo e envolve os ministros do governo.

Nestes últimos meses, casos envolvendo os ministros Eliseu Padilha, Carlos Marun e Osmar Terra mostram que os criminosos abriam contas bancárias falsas, utilizando “contas emprestadas”. Segundo informações do portal “Crusoé”, o grupo empossava o aplicativo WhatsApp das autoridades, tendo total acesso ao conteúdo das mensagens.

Passando-se pelos ministros, os criminosos mandavam mensagens para contatos cadastrados no aparelho e pediam dinheiro. Rapidamente, as vítimas enviavam as quantias.

A Polícia Federal analisa quais tipo de informações foram encontradas com os criminosos. Mensagens sigilosas de ministros podem ter ficado nas mãos dos bandidos.


Post Views:
2

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here