Depois da primeira audiência pública realizada em outubro deste ano, em Santa Filomena (PE), no Sertão do Araripe, a PE-630 voltará à pauta do Conselho Popular de Petrolina nesta sexta-feira (17). Desta vez o encontro, como foi divulgado por este Blog, acontecerá na cidade de Dormentes (PE), Sertão do São Francisco, às 9h, no Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR).

Empolgado com o bom resultado do encontro em Santa Filomena, do qual participaram lideranças comunitárias, sindicais e empresariais da região – além de autoridades políticas – o professor Rosalvo Antonio, que integra o Conselho Popular, espera um número ainda maior de participantes. E não é para menos.

Segundo Rosalvo, a terraplanagem da rodovia iniciou-se nos anos 70 e ainda, com muito esforço, estendeu-se até o ano de 1982. De lá para cá, ficou entregue à sorte. Interligando Petrolina/Rajada, Dormentes, Santa Filomena e Ouricuri/Barra de São Pedro e Trindade, a PE-630 possui atualmente um trecho de 148 difíceis de trafegar.

Além dos riscos de acidentes, os transtornos também implicam em prejuízos econômicos para cinco municípios cortados pela rodovia, tanto em relação ao escoamento da produção (no caso do Araripe, o gesso, e do Sertão do São Francisco a caprinovinocultura), quanto à realização de eventos festivos e religiosos. Rosalvo conta que a ideia das audiências foi formatada após várias visitas do Conselho Popular à região.

Ele diz não ter dúvida que faltou “vontade política” dos governantes estaduais em resolver o problema. Por isso, a intenção agora é mobilizar o maior número de forças possível, de forma suprapartidária, a fim de tirar do papel a pavimentação da PE-630. Mas Rosalvo não esconde a preocupação com um detalhe. “A gente não tem provas, mas há quem diga que esse trecho da rodovia consta como pavimentado. Precisamos fazer uma investigação sobre isso, que será numa segunda etapa”, afirmou.

Governo Paulo Câmara

Independente do que tenha acontecido, o representante do Conselho Popular afirma que toda essa mobilização terá o intuito de cobrar a pavimentação da PE-630. Rosalvo adiantou que será elaborado um documento, após as audiências, para ser entregue às autoridades. Ele também já manteve contato com a Casa Civil do Governo Paulo Câmara para fechar uma audiência com o governador. Por enquanto, segundo Rosalvo, a data ainda não foi definida porque as audiências ainda estão em andamento.

Otimista quanto a um desfecho satisfatório para a PE-630, ele não poupa elogios às várias entidades e representações de classe da região, que embarcaram na luta do Conselho Popular. “Essa é uma defesa de algo que vai beneficiar nossa região, integrando esses seis municípios, como também interligar o São Francisco com o Araripe e os estados do Piauí, Ceará, Bahia e Pernambuco”, ressaltou.

Rosalvo deixa claro, no entanto, que outros passos serão dados para viabilizar a pavimentação do trecho da rodovia, caso as autoridades públicas não se sensibilizem. “Iremos fazer um projeto de lei de iniciativa popular para garantir recursos no Orçamento do Estado”, completou.

Convidado por Rosalvo para o evento de amanhã, o vereador do Recife (PE) Ivan Moraes (PSOL), que está em seu primeiro mandato eletivo, lamentou que vários gestores estaduais tenham passado pelo Campo das Princesas nesses mais de 30 anos, e a PE-630 continue com os mesmos problemas que já deveriam ter sido resolvidos. Segundo ele, o Conselho Popular faz, na prática, “a verdadeira política” ao debater temas relevantes como esse para a comunidade, e não apenas em ano de eleição. “Independente de processo eleitoral ou partidos, a gente vê essas pessoas que são de partidos, outras que não são de partido nenhum, dialogando com todos, pressionando os parlamentares. É isso que se espera da sociedade”, ponderou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here