O vereador Ronaldo Silva (PSDB) e o deputado federal Adalberto Cavalcanti (PTB) bateram boca ontem (8) numa emissora de rádio em Petrolina, por causa do impasse envolvendo as quase 900 famílias do Projeto Pontal, ameaçadas de despejo por uma reintegração de posse impetrada pela 3ª Superintendência Regional (SR) da Codevasf.

Ronaldo não gostou do posicionamento de Adalberto em defender a permanência das famílias na área, que pertence ao órgão federal. O vereador justificou que as terras do Pontal, onde as famílias estão acampadas, serão trabalhadas pela Codevasf conforme modelo idealizado pelo ex-deputado Osvaldo Coelho. Ou seja, dando oportunidade aos agricultores de ter seu lote e prosperar, ao contrário da Parceria Público-Privada (PPP), idealizado na gestão petista, que “tirava do pobre para dar ao rico. O Pontal vai ser a continuidade do Projeto Senador Nilo Coelho e do Maria Tereza”, argumentou.

O vereador lembra que o distrato da PPP, inclusive, já aconteceu, graças à união de forças dos principais integrantes da Família Coelho – o senador Fernando Bezerra e seu primo Guilherme (filho de Osvaldo). Já Adalberto, segundo Ronaldo, “nunca colocou um Real de emenda para a irrigação”, não só de Petrolina, mas da região. “Ele foi bem votado em Santa Maria, onde tem o Projeto Caraíbas, e em Orocó, onde existe o Brígida. Mas o deputado sempre se preocupou em fazer política pequena, de assistencialismo”, cutucou Ronaldo, numa entrevista a este Blog.

Como se não bastasse, segundo o vereador, o deputado ainda incentiva pessoas humildes do sequeiro a ocupar terras que não são suas. “Se ele quer dar terra ao povo, ele tem uma fazenda para o lado de Afrânio (PE). Que ele pegue essas famílias e leve todos para lá”, completou.



Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here