Em 1991, com o desmoronamento da União Soviética, a Rússia herdou um arsenal militar de fazer inveja a qualquer outro país do mundo. Colunas de blindados a perder de vista; caças e bombardeiros de última geração; navios poderosos e muito bem armados e uma frota extremamente letal de submarinos convencionais e nucleares.

Entretanto, ao longo dos anos 90, com a Rússia lutando para se recuperar da queda do seu império, boa parte desses equipamentos foram abandonados e sucateados. Mas no início do Século XXI, com a subida ao poder de Vladimir Putin, a situação começou a reverter graças a recuperação da economia que durou até 2012. De 2013 para cá entrou em forte recessão, voltando a melhorar os índices econômicos somente agora. Esse baque afetou vários projetos de defesa.

A China, pelo seu lado, vem apresentando um forte crescimento econômico há muitos anos e isso colabora positivamente no desenvolvimento de suas forças armadas. No Século XX a China era conhecida por possuir um exército gigantesco, mas muito fraco em termos de armas e treinamento. Mas desde o início deste século que este cenário vem mudando para melhor num ritmo cada vez mais rápido. Os investimentos em equipamentos militares foram grandiosos.

Mas afinal, qual dos dois países nos dias atuais pode ser considerada a segunda potência militar do mundo, perdendo apenas para os EUA? No vídeo abaixo, o especialista militar brasileiro Marcelo Rios, do canal Hoje no Mundo Militar, faz uma excelente análise e responde a questão:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here