Marinheiros desfilam sob os olhares do presidente Michel Temer (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Até meados do início do século XXI a Marinha do Brasil era a maior e a mais bem equipada de todo o Hemisfério Sul. Naquela época, o País tinha acabado de adquirir um novo porta-aviões, o São Paulo. Os estaleiros navais brasileiros tinham experiência e construíam bons navios, como por exemplo, as duas fragatas da classe Niterói, totalmente construídas no Arsenal de Guerra do Rio de Janeiro.

Também foi construída a corveta Barroso, embarcação extremamente moderna e que prometia abrir um novo ciclo na construção naval brasileira. Também nesta época o Brasil já tinha construído submarinos modernos da classe Tupi, lançados ao mar na década de 90. Em 2001 começava a construção do Tikuna, submarino mais avançado do que o projeto original alemão.

Quem via o Brasil naquele tempo, imaginaria que dali a 15 a 20 anos seriamos não apenas a maior potência do Hemisfério Sul, mas uma das maiores em nível global. Mas como foi que o Brasil passou de uma potência naval para o abandono de hoje?

No vídeo abaixo, o especialista militar brasileiro Marcelo Rios, do canal Hoje no Mundo Militar, responde:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here