Foto: Jonas Santos/PMP divulgação

A polêmica em torno da realização da 47ª Jecana do Capim, na zona rural de Petrolina, ficou apenas nos bastidores que antecederam o evento. Quando a programação começou, o clima mudou e a animação contagiou o público já da última sexta-feira (29/06), com as barraquinhas e as apresentações musicais. Também houve a celebração de uma missa na comunidade.

O ponto alto da Jecana também não deixou por menos. Este ano o destaque ficou por conta do recorde de participação de animais nas competições, que chegou a 48 – ante os 35 em 2017.

No domingo (1), os carros antigos trouxeram um pouco do passado para a arena de competição, dando as boas vindas aos anfitriões e visitantes da festa. Em seguida, um desfile irreverente de jumentos ornamentados divertiu os presentes. Na primeira colocação, a jumenta ‘Maria Bonita’, de Salgadinho (PE), despontou na competição com o tema ‘Amor’. Em segundo lugar, da comunidade do Capim, o jumento ‘Aquiles’ expôs as paixões do homem sertanejo com a temática ‘Vaqueiro, vida e costumes do herói do Sertão’. A terceira posição ficou com o ‘Cara de Jegue’, também do Capim, com a apresentação ‘Carregando estrela toda a torcida pelo hexa’, trazendo nas costas o elenco do futebol brasileiro.

Na ‘Corrida de Burros’, teve tricampeonato para a primeira posição: ‘Morena’ de Afrânio (PE), venceu mais uma vez a competição. A segunda colocação ficou para ‘Negão do WhatsApp’, de Petrolina (PE); o terceiro lugar foi para a cidade de Jataúba (PE), com ‘Catarina’; e a quarta vencedora foi ‘Neguinha’, de Dormentes (PE).

Foto: Jonas Santos/PMP divulgação

Grand Prix

No ‘Grand Prix Jeguístico’, jumentos de três estados do Nordeste se destacaram. ‘Chulé’ de Jataúba (PE); ‘Cadáver’ de Nossa Senhora da Glória’ (SE); ‘Tira Teima’ de Santa Filomena (PE); ‘Catingueiro’ de Nossa Senhora da Glória (SE); ‘Pula Pula’ de Santa Filomena; (PE) e ‘Juliete’ de Umbuzeiro (PB) levaram respectivamente do primeiro ao quinto lugar da competição.

Tradição

Presente ao evento, o prefeito Miguel Coelho destacou a tradição e organização da Jecana. “Primeiro é preciso parabenizar o povo do Capim e de Petrolina, que aqui estiveram para manter essa festa tão bonita. A Jecana é um patrimônio de toda essa região, que precisa ser preservada e valorizada, e hoje pudemos ver um evento muito bonito, organizado e que vai crescer ainda mais nos próximos anos“, comemorou. Depois de muita corrida e desfile, foi a hora de arrastar a chinela e fazer a poeira subir com o forró de Gervilson Duarte. Logo em seguida, o cearense Guilherme Dantas finalizou a Jecana do Capim, no ‘Forró do Poeirão’.

A Jecana é considerada por lei como Patrimônio Cultural Imaterial de Pernambuco. Idealizada pelo radialista Carlos Augusto Amariz (falecido em 2015) há 47 anos, a festa ficou conhecida em todo o Brasil por homenagear o animal de tração mais popular no Nordeste: o jegue. No total, são três dias de festa, começando sempre na sexta à noite com missa e abertura das barraquinhas; seguindo no sábado com o ‘Forró da Rabichola’ e no domingo com as competições do ‘Jegue Fashion’; ‘Corrida dos Burros’; o ‘Grand Prix Jeguístico’ e o ‘Forró do Poeirão’. Com informações da assessoria da PMP.

Foto: Jonas Santos/PMP divulgação
Foto: Jonas Santos/PMP divulgação

CB

Deixe uma resposta