Maria das Mercês, mais conhecida como dona Maria, foi alfabetizada por seu neto, Felipe dos Santos, quando já estava completando seus 70 anos idade. E, agora que aprendeu, ela quer espalhar seu conhecimento para o mundo. A septuagenária, recententemente, lançou seu livro de memórias, intitulado O Saber de Maria.

Dona Maria mora em Curitiba, no Paraná. Mais precisamente, no bairro Uberaba, onde ela criou seu neto. O pequeno Felipe. O que ocorreu foi que, certa vez, quando o menino entrou na escola, esbarrou-se com um problema, as dificuldades de sua avó relacionadas a ler e a escrever. Quando o menino chegava em casa e tinha que realizar seus deveres de casa, dona Maria não podia auxiliá-lo com nada. “Eu chorava porque eu não conseguia ajudar nas tarefas”, lembrou ela.

Quando mais jovem, ela não pôde frequentar a escola. Seu pai restringia seu acesso à educação por julgar que escola era coisa de menino, e que as mulheres, na verdade, deveriam aprender apenas os afazeres domésticos. Dessa forma, sem saber ler e escrever, ela cresceu, se casou, virou mãe e se tornou avó.

Foi então que Felipe decidiu ajudar sua ‘mãe’, como ele a chama. “A gente viu um colégio e estava escrito “EJA” (Educação de Jovens e Adultos). Eu não sabia o que era ainda e aí eu falei: “mãe, vamos matricular lá”. Ela falou que não”, contou o neto de dona Maria. Porém, de tanto ele insistir, ela acabou se matriculando.

Os desafios

Segundo ela, no início, as aulas eram muito desafiadoras, mas ela não desistiu. Todos os dias, ela se esforçava para aprender mais e mais, e com o tempo, foi percebendo que os resultados estavam aparecendo. Em um determinado dia, dona Maria perguntou a Felipe se ela estava lendo ‘direito’. “Eu falei: “abóbra”. Aí ele disse: “está certo, vó”. Nossa, aquilo ali pra mim o chão abriu, abriu tudo igual uma luz assim”, relembrou a septuagenária.

Dona Maria, aos 70 anos de idade, ainda trabalha como faxineira. O oficio é conciliado com seus estudos, que segundo ela, não quer parar tão cedo. “Vou pra escola e, quando chego, ainda fico até 11 horas da noite, até me dar sono, lendo um livro e escrevendo”, disse ela. Há pouco tempo, uma editora, interessada na história de vida e superação de dona Maria, a convidou para lançar um livro de memórias.

O livro de 111 páginas, que conta um pouco de sua história, foi lançado na capital paranaense. Dona Maria nasceu no estado do Pernambuco, no final dos anos 1950. Ela criou nove filhos e seu neto Felipe. Mas ela não cansa de superar os desafios que a vida lhe impõe e se diz preparada pra enfrentar os novos que surgirem.

“Tirar minha carta, aprender a dirigir e eu quero ainda subir na faculdade”, contou ela. Sem dúvida alguma, Felipe estará ao seu lado, lhe apoiando e ajudando no que puder. “Eu quero dar muito mais iniciativa pra ela ser professora do jeito que sempre quis”, disse o rapaz.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Deixe uma resposta