“Quero dizer que esse hospital está uma vergonha. Minha mãe está em estado avançado de câncer, foi internada e a unidade se encontra sem medicamento, sem lençóis para os leitos, um caos. Isso é uma vergonha. Cadê as autoridades pra ver isso ?”, desabafou uma leitora do Blog.

O e-mail enviado ao Blog só ressalta uma série de denúncias encaminhadas sobre o atendimento do Hospital Regional de Juazeiro, que segundo informações teve os atendimentos eletivos suspensos e ainda, o Governo do Estado estaria devendo R$10 milhões de reais à Associação de Proteção à Maternidade e Infância Castro Alves (APMI), que administra a unidade, o que ocasionou estabelecer apenas os atendimentos em casos de emergência.

Os funcionários também ameaçam iniciar uma outra greve, caso o pagamento não seja regularizado. Como a leitora relatou, faltam equipamentos, insumos e medicamentos.

Nossa equipe de reportagem entrou em contato com a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, que só enviou uma breve nota sobre o assunto, que diz:

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) informa, após apurar junto à empresa APMICA, que não está ocorrendo greve no Hospital Regional de Juazeiro. O que houve, segundo a direção da unidade, foi o remanejamento de alguns procedimentos. A Sesab ainda ressalta que tem efetuado pagamentos regulares à empresa. 

 

 

 








Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here