A criptografia do Telegram protege as suas próprias cadeias de comunicação sem qualquer distinção de espécie (ondas ou quando são criptografadas em nuvem). Os bate-papos secretos são protegidos por uma camada de criptografia de ponta a ponta. Há 6 anos de experiência, a rede de mensagens compartilhou um total de 0 bytes de dados com terceiros. China, Irã e Rússia estão bloqueados para acessar a camada dos usuários. Por isso, muitas pessoas consideram-na como um WhatsApp à frente do seu tempo. Será se isso realmente bate com o que ambos oferecem para os seus públicos consumidores? Telegram ou Whatsapp, qual é o mais seguro?

O chat secreto do Telegram reforça a proteção e impede capturas de tela e encaminhamentos para terceiros. No entanto, o WhatsApp garante criptografia de ponta a ponta. Ou seja, mais segura para as conversas no geral.

Depois de um bom tempo sem ser mencionada pela grande mídia, o Telegram finalmente voltara para as pautas de notícias brasileiras. Tudo isso em razão das conversas vazadas envolvendo o ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o procurador da Operação Lava-Jato, Deltan Dallagnol.

O conteúdo privado fora base para reportagens do site jornalístico The Intercept Brasil. Parece que esse seria um bom momento para analisar ambas as redes de comunicação. Concorda? Quais são os prós e contras de cada uma delas? Telegram ou Whatsapp, qual é o mais seguro?

Prós e contras do Telegram

O Telegram é bastante conhecido como a rede de comunicação que costuma servir de backup quando o concorrente sai do ar. No entanto, ela é mais do que uma alternativa (ou deveria ser pensada assim). A rede fornece mais recursos nos chats, com a primeira camada de segurança (criptografia cliente-servidor) sendo usada em mensagens privadas e coletivas. Isso garante que a mensagem só possa ser vista por quem enviou ou pelo destinatário.

Assim sendo, as informações criptografadas circulam pelo sistema em nuvem. No caso do chats definidos como secretos, o Telegram adiciona uma camada de proteção chamada cliente-cliente. O recurso precisa ser habilitado, perfazendo com que a mensagem não seja direcionada para a nuvem da empresa. Ponto positivo.

Bom, mas nem tudo é um arco-íris de possibilidades e proteção. Isso porque a opção extra de conversa criptografada só funciona se você mesmo configurar o aplicativo para isso. De acordo com os especialistas, a rede de comunicação armazena seus dados e até o backup dos chats comuns em servidores fora do país. Por isso, a segurança fica extremamente limitada. Muitas pessoas, inclusive, desconfiam desse deslocamento e temem que terceiros possam abrir ou invadir as conversas dos usuários.

Prós e contras do WhatsApp

WhatsApp, por sua vez, é o aplicativo de troca de mensagens mais usado no país. Sua criptografia de fábrica é voltada para a tecnologia “de ponta a ponta”. Ou seja, apenas os usuários conseguem acessar o conteúdo das conversas (o que deveria ser regra). Além disso, o WhatsApp permite que o usuário realize chamadas telefônicas ou em vídeo pelo próprio aplicativo.

Como a rede garante opções de backup em nuvem no Google Drive ou no iCloud, o acesso por terceiros fica mais complicado. Ou seja, para um hacker abrir o conteúdo deste backup, seria preciso obter não só acesso ao WhatsApp, mas também o login e a senha do usuário.

O ponto fraco está diretamente relacionado à ausência de código aberto, o que significa que não há auditorias externas e independentes. Acusada de irregularidades proeminentes de decisões judiciais, já deixou milhões de brasileiros sem acesso ao aplicativo para cumprir o que fora acordado em sentença. Sem contar que o backup em nuvem no Google Drive ou no iCloud não é criptografado.

Bom, esses são os prós e os contras de ambos os aplicativos. Agora é só colocar na balança para definir, por conta própria, qual seria a melhor e mais segura opção dentre eles. Qual você usa? Se sente plenamente seguro? Compartilhe suas impressões e experiências conosco.

Fonte

Deixe uma resposta