De acordo com uma recente reportagem publicada pelo portal de notícias Mais Goiás, uma nova variante do Covid-19 foi, mais uma vez, encontrada no Brasil. Sequenciada e identificada pelo Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA), a nova variante, que faz parte da linhagem peruana C.14, chegou ao território brasileiro por meio de um viajante.

A nova variante

O turista contaminado com a nova variante chegou em Salvador de navio em meados de fevereiro. O laboratório divulgou a informação na noite de ontem, 23/02. Segundo a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), “este foi o primeiro caso da nova variante confirmado em circulação no Brasil”.

Em entrevista ao Mais Goiás, a infectologista Clarissa Cerqueira revelou que os profissionais de saúde ainda estão analisando a nova variante para poder informar à imprensa “se a mesma é mais agressiva ou tem uma taxa maior de contágio em relação às identificadas anteriormente”.

“É algo realmente muito recente. Não tem nada descrito na literatura sobre o comportamento das pessoas que são infectadas por essa cepa. Cabe a nós manter as medidas de proteção que valem para todas as cepas que estão circulando. Cabe a cada um de nós a noção da importância das medidas de prevenção, de evitar aglomerações, utilizar as máscaras de proteção e higienizar as mãos”, disse a profissional ao portal UOL. “Só com o tempo vamos conseguir observar o comportamento dessa nova variante da covid-19.”

Esta é apenas mais uma das cepas do vírus Sars Cov 2 que foi identificada pelo Lacen-BA. Somente este ano, o laboratório já detectou seis linhagens diferentes do novo coronavírus – as quais, segundo o portal de notícias G1, “nenhuma têm relação com os tipos encontrados na África do Sul, no Reino Unido e também em Manaus que são mais contagiosas”.

De todas as situações que o laboratório teve que lidar até agora, a que ganhou mais destaque na mídia envolveu a descoberta de 11 casos da variante de Manaus, identificada pelos especialistas como P.1.

Conforme divulgou o portal Mais Goiás, a diretora do Lacen-BA, Arabela Lima, relatou em um comunicado emitido pela Sesab que genomas completos de 112 amostras de diferentes zonas geográficas da Bahia estão, neste momento, sendo analisadas. “As amostras eram provenientes de indivíduos com sintomas clínicos característicos, como dificuldade de respirar, muito cansaço, síndrome respiratória aguda grave e pneumonia”.

Linhagens

O Lacen-BA, atualmente, é gerido pela Sesab. Em meio a pandemia, a instituição tem prestado um serviço mais que primoroso. Somente no dia 04 de fevereiro, Lacen-BA revelou que havia detectado seis linhagens diferentes do novo coronavírus – todas na Bahia.

De acordo com o G1, nenhuma das amostras que foram identificadas na data em questão possuem ligação com as que foram encontradas na África do Sul, no Reino Unido e em Manaus.

O material que foi analisado pela instituição foi colhido em 25 cidades baianas de todas as regiões do estado. Conforme expôs a Sesab, na época, “foram feitos 48 sequenciamentos colhidos de pacientes que estavam com sintomas como cansaço, dificuldade de respirar e também síndrome respiratória aguda grave”.

Conforme divulgou o G1, o Ministério da Saúde solicitou ao governo da Bahia que mais 300 sequenciamentos genéticos fossem realizados em um período de quatro meses.

Brasil

Recentemente, o Ministério da Saúde informou que foram registrados aqui no Brasil, até o último dia 20 de fevereiro, 204 casos de variantes do covid-19. São eles:

  • 20 casos da variante do Reino Unido, sendo: São Paulo (11), Bahia (6), Goiás (2), Rio de Janeiro (1)
  • 184 casos da variante de Manaus: Amazonas (60), São Paulo (28), Goiás (15), Paraíba (12), Pará (11), Bahia (11), Rio Grande do Sul (9), Roraima (7), Minas Gerais (6), Paraná (5), Sergipe (5), Rio de Janeiro (4), Santa Catarina (4), Ceará (3), Alagoas (2), Pernambuco (1) e Piauí (1)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here