O vereador Osinaldo Souza (PTB) não deixou barato o comentário do seu colega de Legislativo, Gilmar Santos (PT), o qual disse que pedirá sua destituição da Comissão de Direitos Humanos diante de sua postura, considerada “incoerente” com o cargo. O embate entre os dois aconteceu na sessão plenária desta terça (24), após reacenderem a discussão acerca da polêmica mostra do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), no mês passado, pela qual um homem nu é tocado por adultos e crianças.

Como presidente da comissão, Osinaldo disse à imprensa que se alguém tiver que ser destituído é o vereador Gilmar. “Eu espero não ter que fazer isso. Eu defendo o direito de todas as pessoas, mas as defesas dele nesta Casa quanto aos direitos humanos têm deixado muito a desejar, especialmente quando ele concorda que criança deva alisar homem pelado ou mulher pelada. Isso eu não admito jamais. A gente tem de respeitar a inocência, o não conhecimento da criança, e isso parece que o vereador não se importa muito”, declarou.

Osinaldo deixou claro ainda que para ser destituído, são necessários votos, “e esses votos ele (Gilmar) não tem”, alfinetou.

Sobre a polêmica, Osinaldo argumentou não ver arte “em pedofilia, zoofilia e todo tipo de imoralidade”. Perguntado se teria dito, como Gilmar afirmou, que o ator nu da mostra merecia uma pancada nos testículos, o vereador evitou alimentar ainda a discussão. Disse apenas que “homem nu ou mulher nua, que está se falando que é arte, a arte da safadeza, tem quer ser tirado da rua e levado ao reservado”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here