Enquanto mergulhava livremente na costa de Kaunolu, na ilha de Lanai no Havaí, uma família havaiana ficou surpresa ao encontrar um jovem tubarão baleia. Como sabemos, os tubarões são os maiores predadores do mar. No entanto os mergulhadores não se sentiram ameaçados com a presença do tubarão. Pelo contrário, eles ficaram maravilhados com a visão rara, já que o animal está em extinção.

Mas a alegria inicial de encontrar o gigante dos mares desapareceu quando Kapua Kawwlo e seu marido, Joby Rohrer, perceberam que o tubarão tinha uma corda grossa e pesada em volta do pescoço. O casal, que trabalha para o Programa de Recursos Naturais do Exército O”ahu, resolveu ajudar o animal que aparentava estar agoniado com aquela situação.

O salvamento

“Parecia muito dolorido”, diz Rohrer. “Havia essas três cicatrizes de onde a corda se esfregava nos sulcos nas costas. A corda tinha cortado provavelmente três polegadas em sua barbatana peitoral”.

Vendo a situação do tubarão, a família decidiu tentar cortar a corda com uma faca de mergulho. Rohrer, que é mergulhador livre experiente, usou uma lâmina de mergulho pequena para libertar o animal. Ele teve que mergulhar várias vezes a profundidades de 50 a 60 pés, a cada vez ele ficava até dois minutos embaixo da água.

Depois de cerca de meia hora de trabalho cuidadoso, com a ajuda do filho do casal, Kanehoalani, e de Jon Sprague, gerente de controle da vida selvagem de Pulama Lana, o tubarão finalmente estava livre.

Normalmente, tubarões baleia nadam para longe quando são tocados. O fato de o tubarão permanecer no mesmo lugar mesmo depois de Rohrer começar a tentar tirar a corda do seu corpo, é uma evidência de que ele estava confortável naquela situação.

Para Kapua, o comportamento tranquilo do seu marido e a sua capacidade de mergulho livre fez com que o animal permitisse que ele o ajudasse. “Todos nós queríamos ajudar, mas nenhum de nós conseguia prender a respiração por tanto tempo”, diz ela.

O tubarão

Não resta nenhuma dúvida de que o tubarão baleia esteja melhor agora sem a corda o enforcando. Segundo Brad Norman, um explorador do National Geographic e também um dos maiores especialistas em tubarões baleia do mundo, a corda estava estrangulando o animal há pelo menos alguns meses. Ele constatou isso devido a todas as feridas causadas na pele do tubarão.

O caso desse tubarão com a corda presa no pescoço já havia sido notificado ao Departamento de Terras e Recursos Naturais do Havaí por mergulhadores locais. Eles já tinham emitido um alerta sobre a sua situação do tubarão. No comunicado, eles pediam para que as pessoas relatassem quaisquer aparições futuras.

Para Norman, dada às circunstâncias, o tubarão parecia estar em boas condições. Ele ainda estimou que o animal tenha pelo menos 20 anos de idade. Sendo tão jovem, o tubarão tem excelentes chances de sobreviver.

“Apesar de globalmente, todos os tubarões baleia estão ameaçados de extinção”, diz Norman. “Se não invertermos a tendência de declínio em seus números, é terrível para a espécie como um todo”.

Além disso, os materiais de pescas perdidos no mar não são prejudicais apenas para os tubarões baleia. De acordo com um relatório recente da World Animal Protection, mais de 700 mil toneladas de novos equipamentos caem nos oceanos a cada ano, causando um desequilíbrio que afeta todas as espécies marinhas.

Fonte

Deixe uma resposta